Uma insatisfação do Carrillo





Imaginem um jogador a quem foi prometido este mundo e o outro se assinasse por um qualquer clube de Carnide. Esse clube gastaria uma fortuna em prémios de assinatura e daria a esse jogador o maior ordenado do plantel e uma espécie de garantia que iria ser titular e, digamos, o novo rei (ou king, em inglês… estão a ver?). Para facilitar a história vamos chamar a esse jogador “André”. O nome do clube não interessa muito, pode ser um qualquer da vossa imaginação.

O André rapidamente se apercebeu que tinha sido manipulado para que o seu novo clube pudesse dar uma bicada ao seu antigo clube e, talvez por isso, vinha a sentir uma enorme dificuldade em se adaptar ao que o seu novo treinador (vamos chamar-lhe “Sonso Pinho” de forma perfeitamente aleatória) lhe pede técnica e tacticamente.




André, fecundado com a situação, pediu uma reunião com Sonso Pinho três dias antes de um qualquer jogo entre um qualquer clube de Carnide e um qualquer clube do Minho (mas que também podia ser de Carnide). Mas Sonso Pinho recusou-se a falar com André e pediu ao capitão Braço Partido para intervir. A reunião só aconteceu no dia seguinte (2 dias antes do tal jogo contra um clube do Minho) e o Braço Partido levava consigo a insatisfação de alguns jogadores do plantel para com André por não jogar uma beata e receber mais que todos os outros.

Palavra puxa palavra (sempre com um sotaque entre o portunhol e o brasileirês) e reza a lenda que se foi ouvindo o seguinte:

  • Não vim para este clube para receber ordens de um tipo que ganha menos que eu!
  • Quem és tu para me dares lições de futebol?
  • Não tenho que falar contigo, pedi para falar com o mister!

E tudo terminou com um: “Braço Partido vai para o caralho que tu, a mim, não me dás ordens” seguido de alguns barulhos estranhos de carne e osso contra carne e osso (isto só os próprios, ou alguém com o rosto inchado, poderão confirmar).

Braço Partido e Sonso Pinho conversam depois para que André não seja convocado mas o querido líder desse clube impôs a “livre vontade” a Sonso Pinho e este lá teve de enfiar o André nos 18 convocados (e talvez até na peida).

Reparem que isto tudo é só produto da nossa imaginação! É tudo um enorme “alegadamente”. Nada disto aconteceu! Afinal de contas não apareceu em nenhum jornal…

PartilhaEstePost

 

8 comments on “Uma insatisfação do Carrillo”

  1. Basco "O Leão" says:

    Sonso Pinho e Braço Partido são simplesmente geniais!
    SL

    1. José Cruz says:

      Obrigado :)

  2. METEGELO says:

    Liedson e Sá Pinto? Seems legit

    1. José Cruz says:

      Estás, com essa afirmação, a validar o meu texto? Admites portanto a possibilidade de o André e o Braço Partido terem andado à bulha e nenhum orgão de comunicação (NENHUM!) ter tido a coragem de noticiar?!

  3. Aquele Mesmo says:

    Lindo é chamarem braço partido ao Luisão.. quando sabem se tivesse sido marcado um penalti no lance em que ele partiu o braço em alvalade as cosias eram diferentes ;

    1. José Cruz says:

      Eu não chamei nada. Isto são tudo personagens de ficção. Tal como a história em si. Não há factos que comprovem ou sustentem isto. É tudo produto da nossa imaginação. Como os vouchers, os roubos jornada após jornada, o colinho! Tudo figuras mitológicas que nós, os avençados carneiros, criámos para implicar com o vosso clube…

      1. polikpt says:

        PUMBA!!! e o pluto calou-se…

  4. acvc says:

    Tem o valor que tem vindo de quem vem………………

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *